Julho: 03 a 23 – 21 Dias de Tratamento de Doenças Crônicas e Equilíbrio Metabólico

Responsável Técnico Científico
Dr. Alberto Gonzalez

Pós-graduação em Bases da Medicina Integrativa no Instituto de Ensino e Pesquisa Albert Einstein - SP (conclusão em dezembro de 2016) CRM - SP 13025-3

21-Dias

VENHA PASSAR O INVERNO CONOSCO

EQUILÍBRIO METABÓLICO, MUDANÇA CULTURAL E TRATAMENTO DE DOENÇAS CRÔNICAS – 21 DIAS DE SAÚDE E PAZ

03 a 23 de julho de 2016

Quem somos:

Somos uma equipe médico-nutricional que acumula experiência de doze anos na assistência à saúde da população. Desde o Programa de Saúde da Família em Campos do Jordão, passando pelas oficinas de culinária saudável em Osasco (Parque Chico Mendes), ancoramos agora nossas atividades na região mais florestal do estado de São Paulo, o “distrito” composto por Capão Bonito e Ribeirão Grande, na região ecológica do Parque Estadual Intervales.

Nosso trabalho consiste – desde a origem no ambiente acadêmico, no Rio de Janeiro (FIOCRUZ e Universidade Estácio de Sá) – em instruir nossos clientes a ter uma alimentação baseada em plantas, com o objetivo de melhorar a saúde, através da prevenção de doenças ou mesmo pelos efeitos diretos desse tipo de dieta recuperar as funções fisiológicas perdidas.

No interior de São Paulo, desenvolvemos cursos denominados BASES FISIOLÓGICAS DA TERAPÊUTICA NATURAL E ALIMENTAÇÃO BASEADA EM PLANTAS. Nossa equipe se aprimorou na recepção, instrução e alimentação de grupos de dezenas, que se tornaram centenas de interessados que, em um hotel localizado na região florestal, recebem aulas de fisiologia médica aplicada à nutrição funcional e aulas práticas de culinária, em reconexão com a natureza.

Após trinta e cinco edições – algumas delas na Alemanha – deste reconhecido curso de fisiologia aplicada em dez anos, nossa equipe encontra-se pronta para a primeira edição do processo de 21 dias. Nossa experiência acumulada fez com que desenhássemos este período em três etapas.

 

Primeira Semana – Clínica Ambulatorial

Esta etapa é propositalmente a mais impactante. Os convidados para o período de 21 dias irão receber uma dieta vegetal, orgânica, fresca e equilibrada, completa em nutrientes gordurosos e proteínas vegetais saudáveis, mas nesta semana inicial intencionalmente baixa em carboidratos (amidos e açúcares). O objetivo desta fase é produzir uma resposta epigenética, ou seja, promover o desbloqueio de locais do gene humano que estão bloqueados pelo padrão cotidiano da alimentação moderna, à base de laticínios, carnes, amidos, açúcares e alimentos processados.

São diversos tipos de sopas e sucos naturais, capazes de promover um impacto importante sobre os níveis de açúcar, triglicerídeos e colesterol no sangue, mesmo em curto prazo. Esta forma de alimentação reequilibra também – e de forma imediata – a microbiota intestinal, repondo bactérias que tipicamente compõem os alimentos orgânicos, originados da natureza. Com este período, objetiva-se também a mudança da microbiota dos tecidos corporais, compostas por bactérias e fungos patogênicos, que existem pelo mesmo padrão açucarado e processado de alimentação.

Denominamos “clínica”, pois é nessa semana que os maiores cuidados médicos são prestados. Os participantes são vistos nesta fase como pacientes clínicos, passando por visitas diárias e medições da pressão arterial e glicemia, assim como individualmente são realizadas histórias clínicas, exames físicos e colhidos material de sangue para avaliações laboratoriais. Cientes de estar lidando com casos clínicos moderados e até severos, contamos com a parceria de especialistas locais e da Santa Casa de Capão Bonito (SUS), distante a três minutos de nossas instalações. Contamos, no entanto, com equipe médica e de enfermagem próprias, com vasta experiência e treinamento clínico em emergências médicas e estaremos com nossa atenção voltada em 100% aos participantes, no tempo da “semana clínica”.

É importante entender que não somos uma “clínica”, mas um “ambulatório”. Ou seja, pela raiz da palavra “ambulare”, nossos clientes / pacientes estão em condições de caminhar, ir e vir naturalmente. Não receberemos, portanto, pacientes acamados e em estado descompensado de doença crônica. A triagem é feita no contato e inscrição dos clientes e confirmada pessoalmente pelo médico responsável, na admissão.

Todos os dias da semana clínica ambulatorial serão plenos de atividades físicas moderadas. Alongamentos ao despertar, atividade física de hidroginástica de baixa intensidade ao meio dia e meditações ao anoitecer. Nesta semana mais crítica damos prioridade ao período de descanso após as atividades físicas e refeição do meio dia (descanso compulsório). Serão oferecidos serviços extras de terapias ayurvedicas (massagens, banhos de óleo frontal e limpezas intestinais), equilíbrio energético (bio-energy healing), nutricional (bio impedância e análise dos tecidos corporais) e microscopia de campo escuro.

A semana clínica é, portanto, muito voltada ao corpo e mente individuais. Termina com uma manobra fisiológica de depuração da bile hepática (limpeza hepática). A partir desta manobra, também monitorada em 100% pela equipe médica, damos início à segunda fase, a “semana de adaptação”.

Toda semana inicial é acompanhada por artes visuais e música, nos momentos de relaxamento e meditação. No sábado, o fim da semana clínica é comemorado com uma festa e apresentação musical.

 

Segunda Semana – Adaptação

A disciplina clínica e alimentar específica da primeira semana dá origem a uma semana mais cultural, mais culinária e mais descontraída. A semana de adaptação segue com acompanhamento médico e clínico atentos, mas a dieta já é completamente diferente da primeira semana. Os sucos e sopas de baixa caloria e sabores neutros dão lugar a uma dieta saborosa, rica em texturas e nuances “gourmet”. Mesas coloridas, com pratos variados ficam à disposição dos participantes, que podem comer livremente. Seguimos com o padrão “alimentação baseada em plantas”, portanto, laticínios, carnes, açúcares, amidos e gorduras processadas não estão no cardápio!

A semana de adaptação é basicamente uma semana de educação em saúde. No domingo, iniciamos a semana com um passeio a produtor orgânico e uma aula esclarecedora sobre essa forma de cultivo. Nos dias que se seguem, o médico responsável, a culinarista e os assistentes em nutrição se alternam em aulas de teoria fisiológica e culinária saudável.

Nossa convicção é de que se os participantes aprenderem o funcionamento do corpo e da célula humana, assim como preparar alimentos mais saudáveis em seus cotidianos, eles mesmo conduzirão suas vidas na direção da saúde e da cura, quando de volta aos seus lares e famílias.

Nesta semana os participantes recebem praticamente todo o conteúdo do curso BASES FISIOLÓGICAS DA TERAPÊUTICA NATURAL E ALIMENTAÇÃO VIVA.

As atividades físicas de alongamento e hidroginástica (agora de média intensidade) continuam em uma base diária. O descanso, de início compulsório, passa a ser opcional. As portas da hospedaria ficam abertas desde o primeiro dia e os participantes podem passear por diferentes pontos de nossa aprazível cidade do interior. Aos que duvidam que nossos participantes possam resistir ao ver padarias, lanchonetes e restaurantes, respondemos que nossa dieta é tão rica e saborosa, que raríssimas vezes teremos uma “recaída” durante nossos cursos.

No entanto, já planejamos uma parceria importante com dois restaurantes e uma padaria da cidade, para que nossos participantes possam sentar-se confortavelmente e pedir pratos e lanches que se adaptam à nossa proposta de “alimentação baseada em plantas”. Liberdade com consciência e auto responsabilidade, é o mérito desta semana.

O fechamento deste ciclo se dá com um passeio inesquecível ao Parque Estadual Intervales. No sábado ocorre o passeio à caverna dos Paiva (um passeio de 4 h de duração) e no domingo uma visita ao pico do Mirante da Anta (3h de duração), ambas as atividades consideradas de média intensidade. Todos os alimentos, frescos, vegetais e orgânicos são transferidos para esta unidade ecológica. Equilíbrio, natureza e disposição física são os nomes desta fase.

 

Terceira Semana – Mudança Cultural

Se tiver algo que define esta última semana é “sair do estado passivo para o estado ativo”. Nesse período – de fundamental importância – orientamos nossos participantes a repetir todos os pratos ensinados na semana anterior. É uma semana de consolidação dos conhecimentos adquiridos. A palavra “ativo” é tão importante que concentramos nossas atividades em transformar nossos participantes em ativistas!

Nossa equipe acompanhará a preparação coletiva de pratos saudáveis, todos os dias. Nossa área externa se tornará uma grande cozinha e os equipamentos estarão à disposição para que nossos participantes se sintam à vontade para mesmo criar novos pratos, com a mesma base teórica e filosófica. A mesma liberdade para ir e vir continua nesta etapa, e nossos participantes serão estimulados a “comer fora” se assim o quiserem, nos ambientes que têm parceria conosco. Queremos que todos percebam as mesmas condições que encontrarão quando de volta a seus lares e comunidades.

Estaremos dando a mesma atenção para os aspectos clínicos e atividades físicas (a hidroginástica é nossa atividade de excelência, por ser aeróbica e de baixo impacto!) assim como as meditações, também ativas! Queremos que você deixe estes 21 dias com a motivação modificada, com a intenção de tornar-se um irradiador desta forma de vida, pois nosso principal objetivo é participação ativa na cura e a transformação de toda a humanidade e do planeta.

Ou seja, consideramos a sua cura pessoal como parte da cura desta humanidade e da ecologia planetária. É com esta visão que nos despedimos concedendo aos nossos participantes diplomas de “formadores em saúde ambiental”.